sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Chuvas complicam o Vale do Aço, em Minas Gerais

A AVENIDA MAGALHÃES PINTO EM FABRICIANO FICOU ALAGADA, COM A ÁGUA ENTRANDO EM ALGUMAS LOJAS. NO BARRA ALEGRE A CABECEIRA DE UMA PONTE FOI DANIFICADA, O QUE PROVOCOU SUA INTERDIÇÃO 

FOTO: LAIRTO MARTINS 

Devido a força das águas, cabeceira da ponte do Barra Alegre cedeu logo pela manhã
IPATINGA – Na madrugada desta quinta-feira (31), as fortes chuvas que caíram na região causaram muitos transtornos  para os moradores da Avenida Magalhães Pinto no Distrito de Melo Viana em Coronel Fabriciano que ficou alagada e a água chegou a entrar em algumas lojas. E na zona rural de Ipatinga no Barra Alegre a força das águas danificou a cabeceira da ponte conhecida como “Ponte menor” que é um dos acessos aos bairro.
O excesso de chuvas causou danos na base de sustentação da ponte que teve que ser interditada pela Prefeitura de Ipatinga. O tráfego de veículos foi desviado aos bairros Barra Alegre e Pedra Branca pela outra ponte do bairro localizada na Avenida Francisco Rodrigues que passa a ser mão dupla.

Associação pede paciência
O presidente da Associação de moradores do  Barra Alegre, Lacir de Oliveira pede à população do bairro que tenha paciência até que tudo seja resolvido: “As medidas foram providenciadas e temos agora que aguardar até que a ponte volte a ser liberada. A associação vai intermediar para que a obra ocorra o mais breve possível”, afirma.

Eustáquio Fernandes Ricardino, 66 anos, aposentado, morador na Avenida Francisco Rodrigues, diz que utiliza todos os dias a ponte: “Muitas pessoas ainda estão se arriscando passando pelo local, mas dá para perceber que não é seguro. Torço para que esse acesso seja reconstruído o mais rápido possível, pois sem ele, muitas pessoas  precisam dar uma volta maior para chegar a seus destinos”, explica.
“A primeira providência foi a interdição e sinalização da via de acesso que cedeu em uma parte, apresentando risco à segurança. Em seguida, foi dado início ao trabalho de limpeza do segundo acesso, para viabilização do desvio de tráfego aos bairros Barra Alegre e Pedra Branca pela Avenida Francisco Rodrigues que passa a ser mão dupla. A Prefeitura ainda acionou a Copasa, responsável pelo reparo de uma adutora de água potável, situada próxima à ponte, que também foi danificada”, disse o secretário de Obras, José Maria.

“O próximo passo será a realização de reparos na fundação da ponte, que só serão possíveis após redução da intensidade das chuvas. Caso contrário, ela terá que ser reconstruída, conforme já estava previsto no planejamento da Prefeitura em 2003 e chegou a ser inserido na primeira etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)”, explica o secretário. Segundo José Maria.
“Pelo fato de as obras não terem sido licitadas pelos últimos dois governos, a Prefeitura já perdeu R$ 20 milhões em recursos com os PACs para realização de melhorias na infraestrutura do Barra Alegre, Nova Esperança e Serra Dourada”, aponta o secretário. 

Balanço do prejuízo
Somente na parte da manhã dessa quinta-feira, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) registrou mais de 30 ocorrências de desabamentos de encostas e alagamentos de vias no município, especialmente próximos à zona rural. 
No Bairro Pedra Branca, a força das águas causou transtornos às famílias, com barrancos encharcados e ameaças de desmoronamento. A estrada do Tribuna ficou completamente interditada pela lama.


Divulgação 

Chuvas alagam Avenida Magalhães pinto em Coronel Fabriciano
Fabriciano: a Magalhães Pinto foi alagada e a água entrou em lojas


DA REDAÇÃO - Em Coronel Fabriciano, as principais ocorrências desta quinta-feira (31) foram de alagamentos, como nas avenidas Magalhães Pinto e Geraldo Inácio, e deslizamentos de terra nos bairros Santa Cruz, Sílvio Pereira I, Recanto Verde, JK, Giovannini, Pomar e Caladinho de Cima. Ocorrências foram registradas também na parte alta do Pedreira e São Domingos. Máquinas e homens da Secretaria de Obras já estão nas ruas executando serviços de limpeza e desobstrução de vias, entre outros reparos.
 Muitos lugares que já receberam intervenção de obras não sofreram grandes transtornos, como no Manoel Domingos e Becos da Maura e do Sudário, no Melo Viana, e no Caladinho. O Parque Linear, projeto que vai reduzir os impactos das chuvas no leito do ribeirão Caladão, já está em execução, mas ainda não contemplou a calha do curso d’água. Antes disso, será feito o trabalho de desapropriação, cujos procedimentos já foram iniciados com a instalação do Plantão Social, no final de 2012.
 A equipe da Prefeitura de Coronel Fabriciano informa que está empenhada em atender a população para minimizar os problemas ocasionados pela chuva. As ocorrências devem ser comunicadas pelos telefones 3846-7071 e 199 (Defesa Civil), 193 (Corpo de Bombeiros) ou 190 (Polícia Militar).


PREVISÃO É DE MAIS CHUVAS
Há previsão de mais chuva na região nesta sexta-feira (1) e sábado (2). De acordo com o Clima Tempo e o Radar IGAM, utilizados como base de dados das Defesas Civis da Região, a previsão é de que as chuvas atinjam 43 milímetros/hora nos próximos dias.


Em Timóteo, queda de barranco provocou interdição de uma casa

ACS/PMT 

Em Timóteo o problema maior provocado pelas fortes chuvas foi a queda parcial de um barranco na travessa São João Batista
DA REDAÇÃO - Em Timóteo o problema de maior gravidade provocado pelas fortes chuvas foi a queda parcial de um barranco na travessa São João Batista, nº 72, na Grota dos Vieira, e que levou à interdição de uma casa que fica em área de risco. Com o deslizamento, a parte da frente da casa teve o piso totalmente abalado e o muro e a coluna da varanda, danificados.
O imóvel foi condenado parcialmente pela Defesa Civil, e a moradora Maria Aparecida Rocha de Alvarenga orientada a buscar abrigo em casa de parentes. No bairro Quitandinha, na avenida México, duas casas foram atingidas por uma forte enxurrada. A canaleta de um muro de arrimo da parte dos fundos dos imóveis não suportou o volume da água, que acabou entrando nas residências. A força da água também danificou o forro do telhado de uma das residências.

A Escola Monteiro Lobato, no bairro John Kennedy, também foi atingida com o deslizamento parcial de um barranco localizado no fundo do educandário. No bairro Primavera, duas casas, uma na rua Hortênsia e outra na rua Gerânio, tiveram suas varandas danificadas em função de deslizamento de terra.
Houve ainda deslizamentos de terra no Distrito de Cachoeira do Vale na BR-381 no sentido a  Belo Horizonte com entupimento da rede pluvial o que causou alagamento de algumas ruas  e casas na avenida Belo Horizonte. A   equipe da secretaria de obras já desobstruiu a pista logo pela manhã e atendeu as outras ocorrências. A  Defesa Civil diz que alguns bairros da cidade  estão sob alerta: Bela Vista, Petrópolis, Esplanada e Macuco. O nível do Rio Piracicaba subiu um metro e vem sendo monitorado, e só representa perigo para a área ribeirinha quando chega aos 5 metros. O telefone da Defesa Civil é o: 3847 4783 ou Corpo de Bombeiros: 193.